sexta-feira, 11 de maio de 2012

Vereadores acusam Admir Ferro de preconceito
Por: Júlio Gardesani (julio@abcdmaior.com.br)

Tucano afirmou que parlamentares não tinham formação superior para debater projeto

Vereadores de São Bernardo acusaram o líder do PSDB e pré-candidato a vice-prefeito na chapa do PPS, Admir Ferro, de preconceito durante a sessão da Câmara desta quarta-feira (09/05). Durante discussão sobre a venda de um terreno da Prefeitura à empresa Dovac, Admir afirmou, na tribuna, que alguns parlamentares não tinham “formação” superior para debater o projeto, ao qual o tucano é contrário. A empresa pretende comprar a área, no bairro dos Casa, para expandir a produção. Diante da discussão, o projeto acabou sendo adiado.
Os três parlamentares que discursaram antes de Admir, Toninho da Lanchonete (PT), Tião Mateus (PT) e Miranda da Fé (PPS), todos a favor da proposta, se incomodaram com as declarações do tucano.
“Isso é preconceito, com certeza. Desde quando eu preciso ter formação superior para entender um projeto que pode gerar 400 empregos na cidade. Juntamente com o preconceito, tem a antecipação da campanha pelo Admir”, afirmou Tião Mateus.
O projeto pretende vender parte de um terreno ao lado da Dovac por R$ 10 milhões, pagos parceladamente.
“Pareceu-me estranha a declaração do Admir. Até porque, sou bacharel em Direito, li e re-li o projeto. Mas alguns estão tentando tumultuar a votação”, garantiu Miranda.
Admir, que se baseia em um parecer contrário da assessoria jurídica da Casa à proposta, acredita que uma licitação deva ser aberta para a venda do terreno.
“Outras três empresas estão interessadas no terreno. Eu não fui preconceituoso. O que eu quero dizer é que temos na Casa um departamento jurídico para nos embasar. Se não o seguirmos, seremos cúmplices de um crime cometido pelo prefeito”, explicou o tucano

Qum

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...